Avistei uma garota...
Corpo raro, fino,
Qual a nota das cordas
De um violino.

Passava de carro, que barra!
Olhei para trás, no crítico impasse...
Eis que o vento, em súbita farra,
Sopra-lhe os cabelos a cobrir-lhe a face.