Momento

31 de Dezembro de 2013 Leonardo Koury Poesias 230

Poesia triste, alma desentendida.

As vezes me entrego ao silêncio,

deixo passar o tormento,

pois logo encontro a saída,

seja para ficar,

ou seja para a despedida.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
MENINO SONHADOR há menos de 1 hora

Sonho pescar com vara de bambu: Pintado, tilápia, mandi e pirarucu, ...
madalao Infantil 3


MEUS VERSOS há menos de 1 hora

Um dia lerás os meus versos, E perguntarás quem os ditou, Se o sen...
madalao Frases 4


DROGA há menos de 1 hora

A vida é luz, a droga o interruptor....
madalao Frases 4


Circunstâncias há 16 horas

Não quero me perder, procurando a perfeição... Ser perfeito em quê? ...
a_j_cardiais Sonetos 38


"A maldade" há 1 dia

De que me serve escrever, inventar, sonhar sem pensar No meu interior me a...
joaodasneves Poesias 8


"Não sei" há 1 dia

Hoje tenho vontade de rir Mas também tenho vontade de chorar Ja nem sei ...
joaodasneves Pensamentos 5