Tens vestigios de pedras de atrios

de altares caidos

profandos pelo abandono?

tens perfume derramado

osculo difamado

sacrificio dilacerado

por desordem de fé?

onde vai a alma que pernoita

por esse mundo

entre açoites de mares tempestuosos

luas escondidas atrás de nuvens

e trovões que despontam na aurora?

que teus vasos seja restaurados

que as lampadas transbordem de azeite

se fé no caminho achas

de esperança o teu coração se enche

restaura tua conduta

volta por caminhos que outro abandonastes

entre pela via aurea

pois a peleja da alma é dura

mas faz do teu caminho um vale de Beraca

pois que importa se tudo vai passar?

não são as coisas que se passam

as que perdemos,

perde-se somente aquilo que sendo verdadeiro,

não foi priorizado na vida

como sendo aquelas que deviam ser

totalmente prioritarias....

CJJ