CARNAL

01 de Agosto de 2011 Abreu Poesias 519

Foi na promíscua zona de magia da Bahia

Que Nóbrega nobre de brega se travestiu

Produziam cunofilia anilíngua cunilíngua

Moradia onde todos os gostos se atraíam



Lá a perseguida achada fluía fluidificava

No tribadismo sáfico vulvas fomentavam

Com fetiches variados todos fornicavam

Em regozijo o brinde era chuva dourada



Coprolalia parafilia hipoxifilia só terapia

Atrações vampíricas e menofilia existiam

Nada faltava nem pompoar com o pensar

Túmida e lúbrica esbraseava até exsicar



Lá onde Jorge o bem amado ia devanear

Em formosas cafetinas jaculou Inspiração

Exulava os amigos Cravo Calazans Carybé

Radiografando as noitadas de satisfação

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Lembra? há 8 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 8 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 8 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 8 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 10


Sou há 8 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 8 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6