Para onde?

18 de Janeiro de 2014 duilio duka Poesias 174

na cabeça, carrega a casa;
no olhar, a tristeza;
no coração, a amargura e
no estômago, a fome.
assim ele vai.
o chão é agreste;
os animais todos morrendo,
pois não tem água,
nunca chove.
só o sol é abundância!
assim ele vai, pisando na desesperança,
lutando pra sobreviver.
o olhar se perde no imenso inferno,
mas não diz nada.
não tem ninguém para ouvir-lhe.
o que lhe dá força, talvez, seja o sonho
- penso eu.
a ilusão de poder ter uma esperança
_____________________________
duiliodukadesouzouzazanni

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 1 hora

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 6


ETERNAL (rondó) há 14 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 6


Sintomático há 20 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 38


"Minha humilde casinha" há 3 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 20


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 81


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 17