chamam-me de utópico
ah! como é bom

(e necessário)

ser utópico neste mundo de hoje
de realidades incertas...

sendo utópico, eu sonho longe...

e com isso chego, ao menos,
até a metade do caminho

(revolucionariamente)


duilio duka de souza zanni
bauru – 21/08/1987