Me arrisco em uma jornada sem sentido
Que é nada mais do que esta vida
Que vivo cegamente
Em perigos, ilusões, paixões e felicitações...

Afinal, qual é o sentido de viver sem objetivo?
Objetivo? A razão de viver!
Seja ela por álguem, ou até mesmo por uma utopia.
Uma doce ilusão...
Mas ao menos terá um motivo de continuar respirando.

Ás vezes sinto minhas mãos gélidas,
E me pergunto se eu já morri.
Eu apenas esqueci de morrer?
E meus sonhos? Foram todos em vãos?

Nada é em vão se houver sofrimento.
Não há felicidade sem antes haver sofrimento.
A vida é como um parto!
Sente-se primeiro a dor, o sofrimento,
Logo é recompensado pela felicidade de uma luz!