Dor de Amor

03 de Agosto de 2011 Gisela Cardoso Poesias 341

Me lembro perfeitamente
Como se fosse ontem
O dia em que engasgava-me
Entre os soluços do abandono.

Chegou mais perto, e ouvi uma voz:
"-Não chores, é dor de amor!"
Voz velha e sábia.
Sofrida?Quem sabe?

O que seria esta dor de amor?
Meu sofrimento?Minha agonia?
Seria uma dor mais feroz
Do que uma dor de uma ferida na carne

Só sei que a frase egnimática
Me serviu de liberdade perante as correntes
E ontem parece que nem existiu mais...

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
ETERNAL (rondó) há 7 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 5


Sintomático há 12 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 37


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 78


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 16


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 3 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 31