Por favor, me liberte!
Liberte-me das correntes
Que carrego como pena ao sofrimento.
Resgate-me da escuridão!
A minha velha herança de minha infância!
Acredite, sinta o meu amor!
O que adianta amar e ser amada
Mas em compensação não recebes
Confiança em troca?
Acorde-me do pesadelo!
Ouça-me agonizando perante ao seu amor!
Cicatrize as minhas feridas!
Respire o meu o ar, e acredite!
De todos os seres e coisas que habitam
Este gélido e obscuro universo,
Só você pode me resgatar desta agonia!