O Poente dos Sonhos

04 de Fevereiro de 2014 Pr CJJacinto Poesias 223

Dai me vinho tinto

sem mosto

pois a vida é cela fria

dai-me sangue de uvas verdes

ou maduras, com alegria

dai-me em vaso de ervas finas

alcaçuz

pois quem diria

que depois de um sonho poente

algum dia

tomaria dos rios desses limiares

da agua rosa escura

que me acendia

nas orlas do vestuario que eternamente

dentro de mim

amanhecia


Clavio J. Jacinto

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
" Amar é" há menos de 1 hora

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 4


PAU DE FITAS há 5 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 5 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 9 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 31


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 10 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 15 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16