Nuvens

19 de Fevereiro de 2014 Pr CJJacinto Poesias 214

Não canso de esperar, as nuvens

trazem em seus navios, o odor pleno

Daquela saudade que correu livre

soltando as amarras de meus choros

Debaixo dos figueiras espero sempre

que venham em forma de chuvas puras

pra molhar todos os apriscos de palavras

porque meus livros viajam por nascentes

Espero como as capsulas da memoria

as estreitas listras dos semblantes pavidos

o luar desbotado do vinho azimo

Espero, até que cheguem como naves

nebulosas que formaram a minha perola

desde então rico serei em teus braços

Clavio Juvenal Jacinto


Leia também
LUSO-BRASILEIRO - Des-História Universal há 2 horas

LUSO-BRASILEIRO Assim como a cor d'olho não colore Aquilo que se tem ...
ricardoc Sonetos 5


Uma Tal Pedra há 19 horas

No meio do caminho de muitas famílias, agora tem uma pedra... Tem uma...
a_j_cardiais Poesias 24


Mundo da Gataria há 20 horas

Gato criado com mordomia, não conhece o mundo da gataria. Não sobe nos...
a_j_cardiais Infantil 45


A história do amor há 21 horas

A história do amor O amor sempre existiu Em muitas formas Em várias ...
pfantonio Poesias 35


AFRO-AMERICANO - Des-História Universal há 21 horas

AFRO-AMERICANO Terra da Liberdade, a Norte-América Tornou republicana ...
ricardoc Sonetos 9


"Primeiro encontro" há 1 dia

Olha, te recordas da primeira vez que eu te vi? não foi só pra me distr...
joaodasneves Mensagens 7