Na arte do deslocamento o coração percorre embalado

Respiração em sintonia, encerrando viagens em harmonia

Até a plena aterrissagem, quando em um bem aprumado pulo

Passo por baixo da barra e me ato em perfeito equilíbrio de gato

Então, saio ziguezagueando em rolamento até a passagem do muro

E com tenacidade, em um ágil salto, pulo a sobrepor e num desmonte

Logo me solto, pulando forte de um lugar a cair em outro, ainda ofegante

A tensionar na passagem de obstáculo e num reverso dar grandíssimo salto

Imitando sempre um pulo de gato, mesmo à distância, em saltos com precisão