Rastros desiludidos

08 de Agosto de 2011 Gisela Cardoso Poesias 375

O amor esqueceu-se de mim.
Me iludiu e foi-se embora
Deixando para trás os seus rastros
Os rastros de desilução.

Amei, amo e continuo amando
Dei a minha vida, meu sangue, minha alma
Mas, nada o contentou
E geral uma certa teimosia

Teimosia de correr atrás
Mesmo sabendo que nada adiantará
A teimosia da humilhação própria
Rastejando pelo chão a procura de cura

Cura. Cura para as cicatrizes.
As cicatrizes são os rastros da desilução
Causada pelo amor que um dia se esqueceu de mim
Me iludiu e foi-se embora.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
A Humildade nos Cai Bem há 3 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 7


Fuga da Inspiração há 4 horas

Preciso terminar um poema que comecei numa empolgação danada... Dep...
a_j_cardiais Poesias 38


Um Dilema há 4 horas

Estou aqui reclamando da minha "vidinha", enquanto tem alguém por aí que...
a_j_cardiais Poesias 37


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 6 há 7 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 5 há 7 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 9


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 4 há 7 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10