Cálice Rompido

12 de Abril de 2014 Pr CJJacinto Poesias 222

Vem as nuvens passageiras

Com a tempestade em montaria

Cálices rompidos desde as fontes

Irrigando os campos verdejantes

Consagrando a fertilidade da terra

Escondem na face a luz do sol

Como um oceano der algodão

Que em vão procura adormecer

Pois os trovões e breves estalidos

Quebram todo o sossego dos montes

Eu aqui da janela

Me escondo por da minha alma

Assustada

(Clavio Juvenal Jacinto)


Leia também
Bendito Amor Eterno há 19 horas

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 11


"Vendo" há 21 horas

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 7


"Te amo vinho tinto" há 23 horas

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 9


Gradeados há 23 horas

O céu está logo ali, depois dessa janela enjaulada... Meu amor é qua...
a_j_cardiais Poesias 50


Vida Artística há 23 horas

Não quero viver ao Deus dará... Sei que aqui, em se plantando tudo dá....
a_j_cardiais Poesias 41


"Eu sou boémio" há 23 horas

Eu em criança já era rebelde e um pouco vadio. Usufruía da noite, mesm...
joaodasneves Acrósticos 5