ROMÃ

09 de Agosto de 2011 Abreu Poesias 356

Bem ao contrário de doce amor

Roma ascendeu e tudo se iniciou

Um Remo trêmulo Rômulo sangrou

Laical, o vulcão Lacial não regurgitou



Só ficam a lembrar bizarrices bizantinas

Antiga terra sem lei, pão do Toni, bolo rei

Tigres lutam no coliseu, onde corre o Tibre

Roma bem acentuada uma romã simbolizou



Melograno com granadas variadas, rombóides

Nove sementes, rubicundas, sabor adstringente

Dia de Reis com punicáceas tua sorte distribuirei

Representada nesse triângulo de surpresas tantas



Túnel fechado, a dormitar recolhida em balão sem ar

Quando despertada faz da fecundidade todo o milagre

Entusiasmo dilatado, a flexibilizar firme tecido muscular

Afrodite charmosa e rugosa pregueada em túmidas rosas

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Paz Celestial há 5 horas

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 5


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 20 horas

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 38


Poema Suado há 20 horas

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 34


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 23 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 23 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há 23 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10