Das entranhas de um nobre sobrado na Imperatriz

Nasceu em branco alvíssimo e olhos de mormaço

O maior porta-voz do abolicionismo de nosso país

Nabuco, democrata de sólidas ideias, franco literato



A execrar do homem servidão e injusta exploração

Indizível violência, tão animal, mil vezes anormal

Verdadeiro tormento na Câmara transformou-se

Onde, versejado e teatral, armou seu palco ideal



A regar brancas camélias em honestas lapelas

Encabeçou a mais justa de todas as causas

Fulcro do cenário nacional pelo imperativo moral

Merecedor de aplausos e aprovação consensual



E as mulheres faziam fila no seu Recife natal

Nos camarotes especiais, por ele suspiravam

Inúmeras pétalas de rosas beijadas lançavam

Tamanha sua sempre festejada popularidade