QUINCAS, O BELO

09 de Agosto de 2011 Abreu Poesias 432

Das entranhas de um nobre sobrado na Imperatriz

Nasceu em branco alvíssimo e olhos de mormaço

O maior porta-voz do abolicionismo de nosso país

Nabuco, democrata de sólidas ideias, franco literato



A execrar do homem servidão e injusta exploração

Indizível violência, tão animal, mil vezes anormal

Verdadeiro tormento na Câmara transformou-se

Onde, versejado e teatral, armou seu palco ideal



A regar brancas camélias em honestas lapelas

Encabeçou a mais justa de todas as causas

Fulcro do cenário nacional pelo imperativo moral

Merecedor de aplausos e aprovação consensual



E as mulheres faziam fila no seu Recife natal

Nos camarotes especiais, por ele suspiravam

Inúmeras pétalas de rosas beijadas lançavam

Tamanha sua sempre festejada popularidade

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Pelo Espírito há 2 horas

Nada do que Jesus cita no Sermão do Monte nos capítulos 5 a 7 do evangelh...
kuryos Acrósticos 4


A Linha da Vida há 4 horas

O futuro é daqui a pouco, mas talvez não possamos vê-lo. A vida é com...
a_j_cardiais Poesias 26


Obedecendo o Vento há 18 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 36


"Verão na Europa" há 21 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 8


"Maria Emília" há 22 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 8


"Sou" há 23 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 10