Roxelane era virgem, nunca tinha feito amor.
Roxelane ia sempre à missa.
Roxelane fazia tudo certo, nada errado, pelo menos era a intenção.
Roxelane respeitava seu mundo.
Seu mundo não a conhecia.
Seu mundo nem sabia de Roxelane.
Sua casa era velha.
Seu quarto um barraco.
Sua cama palha e pano; terror de Roxelane.
Roxelane pegou uma condução.
Condução ao centro.
Roxelane virou refém.
A polícia atirou.
Acertou em Roxelane.
Roxelane foi para sua nova casa.
Uma cova rasa no cemitério da ferrovia.
Roxelane já era.
Ninguém a viu...