Meu corpo celeste

07 de Maio de 2014 Sir Melhado Poesias 365

Meu corpo celesteNa alvorada surge com um sorriso tímido,

Desperta com vigor para mais um páreo com a resplandecer solar.

Á noitinha predomina sobre o azul estrelado.

Sua fantasia consiste nesse perder e renascer.

Ilumina, some, me esquece e depois aparece.

.

Nova, tão bela, se alegra e me cerca.

Crescente, avante, adiante, irradiante, à vejo fora do meu alcance

Cheia, permeia, me arrodeia, enlouquece, sou mais uma presa em sua teia.

Minguante, se vai e aos poucos se esconde, sem um beijo, um cheiro ou um adeus sequer.

.

Mas talvez, essa lua que admiro só possui duas fases:

Bem me quer e mal me quer.

.

.Sir Melhado

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"A felicidade" há 4 horas

A beleza de um jardim nao depende do tamanho das flores, mas sim da varie...
joaodasneves Pensamentos 7


"A decadência" há 8 horas

Numa decadência sem fim. não paro de cair. Esta tudo muito escuro aqui,...
joaodasneves Poesias 11


"A Parede" há 8 horas

Esta parede que nos separa Tem que cair, assim falaremos de ti de mim Olh...
joaodasneves Pensamentos 7


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P4 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Mensagens 9


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P3 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 9


John Owen - Hebreus 1 – Verso 3 – P2 há 18 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 8