O gavião

15 de Maio de 2014 JoãoBosco Encarnação Poesias 268





O dia é nublado


e o vento bate de um lado


a outro.


O gavião mergulha


e vasculha.


Depois,


volta ao galho alto


de onde veio.


Olha, olha e olha.


O gavião vasculha,


enquanto mergulha,


mas não encontra


o que procura.


Na verdade,


não procura,


há algo que o estimula,


mas não sabe o que é.


É um tormento.


Inquieto,


olha para os lados,


ameaça um voo,


daqueles rasantes,


que só uma ave de rapina


sabe dar.


Talvez o vento o confunda,


e permanece lá,


impávido, no galho.


Atormentado, isto sim!


Porque gaviões foram feitos


para dar voos rasantes,


e alcançar, com o bico duro,


alguma coisa,


que só depois,


saberá o que é.


Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Minha humilde casinha" há 1 dia

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 15


Se Poema For Oração há 2 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 54


"Bailei com a solidão" há 2 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 13


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 14


Perseverar Até o Fim – Parte 2 há 2 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 10


Separação há 2 dias

Pensei que separação fosse fácil... Que fosse só deixar seu amor, e ...
a_j_cardiais Poesias 51