Notívago

10 de Agosto de 2011 Wellington Calcagno Poesias 333

Oh! Triste noite, mãe da vida
Por que me incitas a não repousar?
Fazendo-me toda melancolia achar?

O frio cortante de teu respirar
Gela-me os sonhos já distantes daqui
Por que logo eu, Oh! Noite fugaz,
Escolheste pra ver em tormento sem fim?

A vagar por teus rumos sem destino achar
Faz-me querer algum acalento encontrar
Nos teus braços escuros cobertos por véu
Que guarda os sonhos e me transforma em um réu!

Por que logo eu, oh noite feroz,
Rescindes meu canto como um algoz?
És linda e cruel, oh! Noite amiga
A triste noite, mãe da vida!



Rio de Janeiro, 13 de Julho de 2009.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Vem me dominar... há 12 horas

Adoro me sentir dominado por você! Sentir-me teu objeto amado,desejado e ...
anjoeros Poesias 12


Seduza-me... há 12 horas

Vem tirar minha toalha, vem me ensaboar por completo, me seduza,engula,de...
anjoeros Poesias 11


Minha satisfação é a tua satisfação há 12 horas

QUISERA PODER LER TUA MENTE...SABER O QUE POSSO FAZER PARA TE SATISFAZER E ...
anjoeros Poesias 9


Doce invasão... há 12 horas

ME DEIXA INVADIR TUA CASA, TUA VIDA! ME DEIXA SER PARTE DE TI... ME DEIX...
anjoeros Poesias 9


# Muitas coisas sobre o tesão... há 12 horas

Todo mundo usa exaustivamente essa expressão que já virou lugar comum: te...
anjoeros Artigos 10


A ARVORE MALIGNA há 12 horas

Durante muitos anos venho me deparando com problemas nas famílias cri...
claviojj Crônicas 10