Notório Sentimento

10 de Agosto de 2011 Wellington Calcagno Poesias 453

O corte espúrio, em minha carne densa
O qual dado por tua ímpeta indiferença.
Trazendo a tona a dor profunda
A invadir tal ausência.
Corte-me com feraz diligencia!
Pois num assombro triste me farás descansar,
Acometo-me, em sentidos já distantes,
Ausentes, silenciosos, sendo assim dormentes;
Ao antepor de sentimentos displicentes.

Que agudam a dor já disposta agora.
O que queres de mim,
A atenuar, o lúgubre sofrimento,
Ao dar viés à dor esquecida há tempos,
Porém escondida por um solene momento?

Não! Não vou refutar esforços,
Que conseqüentemente me levem a lutar
Desistir, sem ao menos tentar?
Ah! Embriago-me com minha mente,
Que por si só é ser vivente!


Rio de Janeiro, 25 de Junho de 2009.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 1 dia

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 13


Principio há 1 dia

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 10


Viandar há 1 dia

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 10


Fluxo do tempo. há 1 dia

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 11


Sou há 1 dia

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 10


Ame...! há 1 dia

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 8