Dinheiro é o que me falta

Amor também

Dá pra ver que simplesmente me perdi

Neste fundo sem ninguém

Às vezes essa canção dos desafinados

Provavelmente nem tem ponto nem rima

Parece que minha pele descascada

Com o que a sociedade pensa e acredita que eu seja

Mesmo com os lampejos que eu deveria ter

Nem os mesmos desejos que este meu ser

Deveria agradecer

Parecia algo infindável

Ver que a solidão é algo presente

Com um coração ausente

Devido as variáveis que o sentimento deveria guarnecer

Ah quem diga que sou um tanto quanto louco

Que este meu parecer

Vieste em tona como um trovão

Mas como a tal paixão

É perspicaz

Porém sou incapaz

De acreditar o que lhe proporciona

Exorcizar esta canção da minha vida

Seria o mesmo que tirar o verdadeiro valor que há em meu ser

Dentre tantos aconselhos ,não sei qual adquirir

Poderia exibir

De forma da minha futura biografia

Em grande parte sem sentido

Não sou capaz de ver

Não sou incapaz de acontecer

Quem sabe essas minhas condutas

Poderia ter agradado mais alguém

É o mesmo que não sei

É o que dizei

Por entre ruas que cortam meu destino
Nesta canção dos desafinados