Um brinde ao frenesi

11 de Agosto de 2011 Wellington Calcagno Poesias 550

Chega-me este vento do leste
Arrastando pelos braços delírios
Segregando do meu ser as pérolas,
De esperança, desejo e bondade.

Envolve-me, este sádico estranho
Protegendo-me das tenras emoções,
Cobrindo-me com insólitas sensações.
Extirpando o mais belo dos encantos.

Atalha os ouvidos com lamurioso canto...
Em suas garras transporta minha razão,
Sobre negras penas, fenecem matizes
Oferecendo-me a palidez da ilusão.

Intrépido é seu inglório adejar,
Langoroso sobrevoar da insensatez.
Sobre as águas inóspitas do insano mar
Lança-me a fim de imergir a minha tez.



Rio de Janeiro, 28 de junho de 2010.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
" Amar é" há 2 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 4


PAU DE FITAS há 7 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 4


PAU DE FITAS há 7 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 3


Falta de Amor ao Próximo há 11 horas

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 32


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 12 horas

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8


A Origem e a Razão de Ser de Tudo há 17 horas

Deus não criou todas as coisas para depois intentar formar uma Igreja. Ao...
kuryos Artigos 16