Toda vez que o show termina
E não te encontro mais perdida na platéia
Não sei se é fuga ou minha sina
Outra vez você se foi
Deixo pra depois
A cerveja no camarim
E me perco na multidão que esvazia o lugar
Eu vejo você em todo canto
Mas não encontro nenhum olhar
Que seja doce como o teu.

Toda vez que volto pra casa
Eu sei que sempre deixei algo lá atrás
Um momento que chorei a música
Não sei mais fazer o que se fez e faz
A chance de ter a mulher única
A cerveja agora é mais amarga
E a platéia vazia não reservou um lugar teu
Vou embora, outra vez
De volta pra qualquer recanto meu
Toda vez que termina outro show.

Vicente Motta Prates