Paisagens

12 de Agosto de 2011 William Adriano Poesias 356

Paisagens
(de William Adriano)


Pela janela dos meus poros
Uma chuva fina, uma brisa convidativa

Pela porta dos meus olhos
Que se abrindo para alguém
E entrando de corpo e alma
Consciente da existência da afeição projetada
Tornasse então perceptível
A imagem de uma linda paisagem
Um recanto aos outrora sonhadores
Que agora calados pelo medo dos sonhos
Pararam de escrever o que sentiam

A velocidade da escrita
Altera o sentido da constância
Força a propulsão criativa
E desata os nós das mentes caladas

A paisagem muda com o sol
A luminosidade bate do outro lado da sala

Os apontamentos dançam sobre a pauta
E ainda não alcançaram a velocidade da luz

Da luz dos olhos teus


//canticospelapaz.blogspot.com/
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"Estou triste" há 2 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 4


"Estou cá a matutar" há 2 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 4


A Humildade nos Cai Bem há 7 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 8


Fuga da Inspiração há 8 horas

Preciso terminar um poema que comecei numa empolgação danada... Dep...
a_j_cardiais Poesias 39


Um Dilema há 9 horas

Estou aqui reclamando da minha "vidinha", enquanto tem alguém por aí que...
a_j_cardiais Poesias 38


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 6 há 11 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 15