Rabiscos

13 de Agosto de 2011 Patrícia Garcia Poesias 554

Como bijuteria em fina matéria esculpida,
Tracejando imagens irredutíveis e cabíveis;
Ideais forjados como relógios em oposto com o tempo,
Fazendo do tic tac o vil passear de horas a fio;

Diante de pálpebras serenando me revejo em meus contornos
Em traços nobres, detalhes que enfraquecem as vistas de alguns
E tantos, e todos como insanos e astutos;

Tinteiro brincando de fazer borrões
Chamam-nos de arte e os fazem parecer arte e em versos;
Uns dizem-lhe de rabiscos
Outros de devaneios;

Do que se tratar a vida, lá vou buscar contrastes;
De tanto sonhar em explicar os fatos
Acabei perecendo de algumas tantas e boas extravagâncias da vida
De agora pra frente vou fazer borrões de vida com cheiro de saudade!


Leia também
LUTA ARMADA há 8 horas

LUTA ARMADA Aqueles tidos como imprescindíveis Pelo afã de lutar toda...
ricardoc Sonetos 4


Paz Celestial há 18 horas

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 11


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 1 dia

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 55


Poema Suado há 1 dia

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 44


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 2 dias

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 19


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 2 dias

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12