Aguas Feridas

11 de Junho de 2014 Pr CJJacinto Poesias 204

Quando as aguas feridas no chão

correm amargas misturadas ao pó

molhando o linho das vestes reais

regando o campo e seus lírios azuis


Chorando na relva, eu tenho dó

no carcere da lama, é prisioneira

fecunda a semente abandonada

cavando buracos nessa estrada


Gotas caídas e machucadas

remanescentes da trovoada

no chão da vida estão derramadas

nos telhados escuros da madrugada


Aguas da queda, espatifadas

transbordam as folhas dos pinheirais

fogem as crianças dos arraiais

o sangue das aguas, não vimos jamais


Ferida as aguas dessa queda fatal

molhando o templo e seus altares

num épico perpetuo, em sublime fanal

corre livre, as aguas aos sete mares


Clavio Juvenal Jacinto


Leia também
Amor de Primavera há menos de 1 hora

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 31


CICATRIZES há 5 horas

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 4


" Amar é" há 16 horas

Amar e como voar, no mais azul dos céus. É sentir a sensaçao de estar n...
joaodasneves Poesias 9


PAU DE FITAS há 20 horas

PAU DE FITAS Dançam as raparigas cá em roda D'um mastro d'onde fitas ...
ricardoc Sonetos 8


Falta de Amor ao Próximo há 1 dia

A razão de viver é amar... Mas a maioria das pessoas vive o amor ao din...
a_j_cardiais Poesias 45


Amor a Deus x Amor ao Mundo há 1 dia

Nos dias do autor não havia automóveis como os luxuosos que existem em no...
kuryos Artigos 8