Soprou o alento da vida

O barro moveu-se

a folha da arvore da vida

dançou

correu a palha, navio dos céus

fugindo da brasa

o sol e a sombra, mil repousos

no arco desliza

Mil cores e sete que tingiram

o rio de cristal e a pureza de um olhar

O vento bate na encosta do monte

leva a aragem da neve e o perfume

do campo

A folha dança nessa sinfonia afinada

Entre fartas estrelas adormecidas

e as alvoradas que confortam o

coração

Segue fiel a folha despregada

livre voando nas paragens desse mundo

como passaro em direção a primavera

e eu dessa janela imagino

o quão bom seria pra mim

se minha alma fosse uma folha

dançando...

CJJ