Saudade

12 de Junho de 2014 Elias Lima Poesias 1359

No meu jardim falta uma flor

E a ausência dela causa-me frio em dias de calor

Todas as outras flores perdem suas belezas

Enquanto eu espero a volta dela

Neste jardim deserto de seu cheiro e cheio de dor.


Acordo e abro a janela

O sol já não me traz nenhum alívio passageiro

Aqui dentro ainda congela a minha alma

Como nos dias de inverno

Em que o céu perde sua cor.


O que hei de fazer então?

Desta angústia que me acorda todas as noites?

Fazendo-me gemer neste chão gélido de desespero

Por causa desta malquista solidão?


Antes de anoitecer

Debruço-me no parapeito de minha janela

Delirando-me em meus intensos desejos

De tê-la de volta em meus braços

De ter de volta todo o meu sossego.


A lua que cai já não brilha mais

E ofusca a fresta de luz que há aqui dentro

Jogando-me ao cais de minhas desilusões tão mortais.


Eu ainda devo esperar esta salvação?

Diante dos deuses e dos homens

Existe uma cura para toda essa escuridão?


Meus sonhos adormecem em minhas sombras

E nelas são destruídos

Eu tento não sangrar minha alma nestes espinhos

Que a mantém presa a este infeliz destino.


A minha bela flor que se foi

Sem dizer para onde

Será que de mim se esconde?

Que com medo de amar, some

E desiste deste amor que poderá fazê-la feliz?


Essa espera já corteja a insanidade

Esta que é iminente em todas as minhas derrotas

Em todos os meus fracassos de amor.


E num desejo total de redenção

Enquanto a noite chega para congelar meus medos e
inseguranças

Num torpor lúcido entrego de vez a minha esperança

Que há dias se afastou de mim

Sem deixar alguma lembrança.


Rendido em minha dor, eu me entrego

Cansado de crer e iludido pela fé

De um dia voltar a ver em meu jardim

Que é o meu coração,

A minha flor florescer em mim

Despertando em meu peito de cheio de paixão.


Entrego-me e dispo-me nestes meus tão sentimentais versos

Que esta minha flor é um homem moreno

De cabelos cacheados que ainda tem o meu amor

E que um dia me amou (Não sei se me amas mais)

Que me mostrou a bela face do mundo

Mas que um dia precisou partir para o seu destino

E que vivo somente está em mim

Essa infinita saudade que ele deixou.





Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
PLEONÁSTICO n°2 há 4 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 5 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 4


A rua me aceita como sou há 8 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 45


Não seja superficial há 9 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 59


"Dia do amor" há 12 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 19 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 14