O Tempo é uma chave pra tudo
E ao mesmo tempo
Para nada.
Tento gritar
Mas estou mudo.

Vejo a solução diante de mim
Quero agarrá-la
Sentí-la
Entretanto, fujo.
Dela e de mim.

Aliviando-me do fato
Me sentindo esse rato
Fugindo assim

Se só você pudesse
Só me abraçar pudesse
Felizes juntos sem Tempo
Tão longe desse perto momento

E se a minha imagem
Pudesse ela fugir da miragem
E você pudesse ver
Que sou tão bom
Por não te esquecer.

Sentimento degenerativo
Para sempre e nunca maldito será
Sempre ignorantemente possessivo
Nunca meu ser te terá.

_______________________________

Este poema é uma Colaboração (Collab) entre dois jovens escritores! Lucas Corbeta e, bem, eu!
Espero que gostem desta poesia completamente experimental!