Devaneio meu é fitar-te 

Tal anelo arde e aniquila a calma 

Tal insânia padece em minh"alma 

Espreitar teus fios de cabelo escarlate! 

Tanto desalento tenho eu 

Quando desvia-te, meu gineceu 

Tão remotamente foges de meu olhar 

Machuca e prosto-me a ajoelhar 

Tu és oceano 

De que tão profundo me afogo. 

Tão logo me desafogo 

Admiro bela sereia deste paraíso diluviano