Olhava a porta entre aberta,uma chaleira sobre o fogão

Olhava a nostalgia de agora...uma xícara sobre a mesa

Olhava a persistência do tempo...um relógio na parede

Olhava a criança de outrora...uma cadeira de balanços

Olhava o sonho da chuva...uma torneira aberta

Olhava o encanto da relva...uma rede entre as árvores

Olhava o desejo do céu...uma arpa,uma flauta

Olhava a terra nascer...uma menina no balanço

Olhava o rio falar...um menino correndo

Olhava o reflexo da memória...um livro de maravilhosas páginas

Olhava a porta,a chaleira,a mesa,o relógio,um espelho de histórias...

Olhava a cadeira,a menina,o menino,uma charrete de alegrias...

Olhava os filhos e seus filhos,uma casa de contos...

Na varanda,sublime varanda...