Midnight Cowboy

16 de Agosto de 2011 Romano Ruiz Prosa Poética 554

Deparei-me com uma estranha no trem. Em pânico, chorava com medo de desmaiar. "Fiquei despida no vagão de todas as insignificâncias" - ela disse. Achei que se lançaria para ser dilacerada pelos trilhos. Tensão por instantes até descobrir que queria confiar no outro. O desenho da coruja em suas costas, que esperava ser colorida, foi à distração necessária para que sua fobia fosse amenizada. Ou você é forte ou enlouquece. Seu nome era Loreta.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
REMEXENDO OS GUARDADOS há 11 horas

Entre as páginas amareladas Dum velho romance de amor Guardei a carta pe...
madalao Poesias 11


CLAMOR ( rondel) há 11 horas

Justiça! Vivo clamando aos quatro ventos. Silêncio! Porque resposta eu n...
madalao Rondel 5


OH HOMEM! (rondel) há 11 horas

Oh homem! Teus calores me agitam, E meu corpo fica em estado convulsivo. ...
madalao Poesias 7


E AGORA? (rondel) há 11 horas

E agora? Que podemos fazer? Remediar é coisa que não adianta. O mal f...
madalao Rondel 7


CORPOS UNIDOS há 12 horas

E me puseste no teu leito, Com cuidados de amante perfeito. De desejos mi...
madalao Poesias 7


Defensoria há 23 horas

Estou como os advogados: procurando brechas, nas leis do sistema, para d...
a_j_cardiais Poesias 40