Midnight Cowboy

16 de Agosto de 2011 Romano Ruiz Prosa Poética 582

Deparei-me com uma estranha no trem. Em pânico, chorava com medo de desmaiar. "Fiquei despida no vagão de todas as insignificâncias" - ela disse. Achei que se lançaria para ser dilacerada pelos trilhos. Tensão por instantes até descobrir que queria confiar no outro. O desenho da coruja em suas costas, que esperava ser colorida, foi à distração necessária para que sua fobia fosse amenizada. Ou você é forte ou enlouquece. Seu nome era Loreta.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 13


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 15


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 13


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11