Sim, é um aniversário. Mas não há balões para enfeitar, não há bolo e docinhos para comer, não há música pra dançar, não há festa pra festejar, pois não há o que comemorar. Este singelo dia marca um ano da sua partida, do dia que você preferiu sair da minha vida, me preferiu fora do seu cotidiano conturbado e dos teus planos improvisados. Humildemente admito que esse foi de longe uns dos dias mais tristes da minha vida, naquele momento não percebi, mas agora, 365 dias depois, eu me dei conta de como meus dias ficam vazios sem a sua ligação ao fim da tarde. Por isso, não há convidados empolgados e nem há pilha de presentes