Cashback

23 de Setembro de 2011 Romano Ruiz Prosa Poética 574

Vence sol, vence sol, vence sol! Atravessando a ponte não havia esperanças de um dia vivo. Com tristeza um plano geral cinza se avistava no lado direito e esquerdo. Luzes vermelhas e amarelas saiam dos carros e dele a fumaça para poluir a manhã. Virou a esquina de muros pichados, numa encruzilhada tão conhecida que compartilhava seus medos angustias principalmente suas conquistas ás seis horas da manhã: repetir as músicas do mp3, fumar e construir. Desmanchou todo com aquele sol no meio - escreveu em seu caderno de bolso "inseguro ando por ai sou quem busca se encher de céu e sol cansei de esconder meia noite dê me luz hoje pra mostrar a imperfeição".Gymnopedie No. 3 lent et grave vontade de chorar sem justificar-me.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Pelo Espírito há 2 horas

Nada do que Jesus cita no Sermão do Monte nos capítulos 5 a 7 do evangelh...
kuryos Acrósticos 4


A Linha da Vida há 4 horas

O futuro é daqui a pouco, mas talvez não possamos vê-lo. A vida é com...
a_j_cardiais Poesias 26


Obedecendo o Vento há 18 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 36


"Verão na Europa" há 21 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 8


"Maria Emília" há 22 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 8


"Sou" há 23 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 10