Crônica de um verão

06 de Janeiro de 2012 Romano Ruiz Prosa Poética 532

Pediu, por ultimo, uma caneta e papel. Atenciosamente o dono do bar lhe entregou o pedido - sabia que estava ajudando na intenção de amenizar a ansiedade que comia o estomago de seu amigo. O papel tinha apenas um lado branco, o outro era preenchido por uma propaganda de um recital de Jazz. Aproveitou o sinal - o panfleto simbolizava fluxo. Começou a escrever sobre o os gestos, movimentos e expressões das pessoas. Deu permissão para títulos engraçados, como por exemplo, o seu preferido intitulado "Patéticos". Debruçado sobre um pequeno balcão, limpando o suor do copo que insistia em manchar suas palavras, encolheu sobre si mesmo. "Sobre a inspiração" foi seu penúltimo titulo - logo depois, foi "Divagações de um cão sem dono". Enfim, terminou dizendo "ainda falta o outro".

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
CIDADE DOS PATOS (cordel infantil) há 11 horas

Vivia na bela cidade dos patos Um velho pato que contava fatos De uma fam...
madalao Infantil 5


"Feliz...dia...de...São João" ... há 18 horas

Quem dera ir mais além, cantar mais alto Sobre esse chão salgado onde na...
joaodasneves Poesias 5


No Vento da Literatura há 19 horas

Gosto da poesia quando chega de surpresa... Pode não ter beleza, mas q...
a_j_cardiais Poesias 30


Bendito Amor Eterno há 2 dias

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 13


"Vendo" há 2 dias

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 9


"Te amo vinho tinto" há 2 dias

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 10