A linha e o Ouro.

07 de Maio de 2017 B. Karvalho Prosa Poética 379

Venha, Vamos!!
Deixaremos o recado e quem quiser seguir.
Escreveremos com a poeira das estrelas
Não podemos ficar nossos corpos queimarão e as memórias serão desfeitas

Seremos os esquecidos na memória de outro alguém.
Curvamos o leviatã Não à volta, os desafiamos, vestimos a grinalda, bebemos da fonte do conhecimento, Eis prenuncio do previsto. assim somos e seremos a união do começo do fim. A lamina e o arco os eternos cantarão as nossas canções.

A prata fere o ouro cura e temos o nosso valor porem separados somos o muito de nada o nada de pouco e nenhum do resto. Aqui, agora, bem a tua frente o caminho dos eternos. Meu pai, teu menino, nosso louvor. As correntes aqui se partem, a vontade sangra e a vida renasce. Devemos ir e lutar, cortar a cabeça da serpente e ser lembrados em teu bordado em meu brasão. Onde houver

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
CONTOS DO ANDARILHO A MULTIPLICIDADE NA UNIDADE. há 1 dia

CONTOS REFLEXIVOS DO ANDARILHO ...
paulocesar Acrósticos 14


A Motivação Correta há 2 dias

“Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais deba...
kuryos Artigos 18


A CALÇADA DE PEDAÇOS DE OUTRAS CALÇADAS há 2 dias

Ele acreditava em seu mundo; seu mundo, também esperava por ele. Ele se...
paiva Poesias 31


Ir, importa mais que a direção. há 2 dias

Vens, ama-me de vez em quando, Ainda quem sem tanto interesse. E assim pe...
elisergio Sonetos 16


A CASA DE BARRO há 3 dias

A CASA DE BARRO Por Roosevelt Vieira Leite A casa de barro de minha cun...
paiva Poesias 39


MULHER-ESPETÁCULO há 3 dias

MULHER-ESPETÁCULO Ela sozinha vale já o ingresso!... Seminua no palco...
ricardoc Sonetos 23