A linha e o Ouro.

07 de Maio de 2017 B. Karvalho Prosa Poética 307

Venha, Vamos!!
Deixaremos o recado e quem quiser seguir.
Escreveremos com a poeira das estrelas
Não podemos ficar nossos corpos queimarão e as memórias serão desfeitas

Seremos os esquecidos na memória de outro alguém.
Curvamos o leviatã Não à volta, os desafiamos, vestimos a grinalda, bebemos da fonte do conhecimento, Eis prenuncio do previsto. assim somos e seremos a união do começo do fim. A lamina e o arco os eternos cantarão as nossas canções.

A prata fere o ouro cura e temos o nosso valor porem separados somos o muito de nada o nada de pouco e nenhum do resto. Aqui, agora, bem a tua frente o caminho dos eternos. Meu pai, teu menino, nosso louvor. As correntes aqui se partem, a vontade sangra e a vida renasce. Devemos ir e lutar, cortar a cabeça da serpente e ser lembrados em teu bordado em meu brasão. Onde houver

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
FANTASIA há 2 horas

FANTASIA Ando às voltas com quem eu nunca fui, Perdendo-me no qu'eu ja...
ricardoc Sonetos 8


DOCE DELEITE - Tauto em "D" há 6 horas

Doce deleite.. Dani dormia, Despertava-me... Delícia! Doce de leite....
juniorcampos Poesias 6


Eu, você e o mar... há 6 horas

Eu e você a observar o mar, e, o mar a nos observar... Admiramos nele a ...
juniorcampos Poesias 4


BRINDES há 6 horas

Eu quis o céu, eu quis a lua, ganhei de presente você toda nua... E...
juniorcampos Poesias 8


JUNDU há 1 dia

JUNDU Longe, o voo elegante da gaivota. Entre a floresta e o mar, erva ...
ricardoc Sonetos 11


Momentos há 6 dias

Se torna estranho quando vc está feliz e quer gritar ao mundo. É estranho...
dree Pensamentos 44