Capítulo 1: A sedução de um encontro


Começou o verão.O verão dos nossos sonhos.Como é bom sentir essa estação. tudo parece tão mais leve,solto e cheio de possibilidades. Parece que quando o calor nos aquece,ele traz nos seus raios a capacidade de nos alegrar. Com o verão,vem os preparativos para mais uma estada na praia. E assim foi. A preparação toda foi feita: preparar malas, verificar cada objeto que não pode faltar,desde as roupas,acessórios,mantimentos e produtos de toalete. Depois é aguardar a partida e pegar a estrada. Nosso desejo maior é viver a ‘ dolce vita”. É chegar,arrumar um pouco das coisas ,trocar a roupa e correr para a praia.Se jogar no mar e esquecer de todo o caos que invadiu nossas vidas no ano que passou.A água tem esse poder de nos revigorar,passar energia,nos fazer livres. ao menos, para mim,é assim.
E foi mesmo assim.Em poucos dias que chegamos,vivemos essa maravilhosa vida ociosa: sem caos,sem chatices,sem aborrecimentos.Só prazer e alegria.E assim pensei.Tudo será essa tranquilidade de sempre. Vir com a namorada,os amigos e alguns parentes que vão se revezando ao longo dos dias do período que na praia ficamos.Nunca tenho pretensões que não seja descansar e que me deixem descansar.É só aquele ritmo de veranista: ir à praia,voltar,sair depois andar de bicicleta,a pé,ver a vista,fofocar e viver desejando que os dias não passem.
Porém,dessa vez o destino se fez caprichoso.De repente,sentado em minha cadeira de praia,debaixo do guarda sol,vejo ele passar.Foi uma visão impossível de se negar. Corpo perfeito.Coxas grossas,bem malhadas,moreno,alto,charmoso,andar de poder,bumbum maravilhoso.Impossível essa delícia não ter mexido com o meu coração.Foi perfeição demais.Pena que não o vi voltar,só o vi passar,ou melhor,desfilar diante de mim. Naquele dia,logo voltamos para casa,pois tínhamos combinado um passeio e não poderíamos nos atrasar.Que pena! Não pude ver o meu deus grego passar novamente, brindando os meus olhos com a sua beleza.Não se espante. Sim,sou bissexual.Aos que não sabem,cabe aqui uma explicação.Homens bissexuais não são homossexuais ou mais conhecidos como gays. Bissexuais são homens que gostam de mulheres e também gostam de homens. Heterossexuais são homens que só gostam de mulheres.Homossexuais sim,que apenas gostam de pessoas do mesmo sexo.
E, eis-me neste verão, sem ter tido a mínima ideia de que isso aconteceria,interessado em alguém que me chamou a atenção tão despretensiosamente.E, posso confessar que realmente não esperava que isso acontecesse. Não que eu nunca tenha olhado o quanto a praia tem a oferecer,mas nos últimos tempos,meu coração não pensou em ir além do que eu já possuo.
Voltei a vê-lo no dia seguinte.Era impossível não virar a minha cabeça para olhar para ele. Sabe aquela sensação de que você sabe que estão te olhando? Era essa a que eu tinha e quando olhava para o lado dele,realmente ele estava me olhando. E assim foi,dia após dia,a atenção dele se voltava para mim e aquilo me deixava em duplo sentimento: satisfação e preocupação. Eu não me encontrava totalmente sozinho. Minha namorada estava lá.E, claro que de repente, ela começaria a notar o que estava se passando.Porque, quem já teve namorada que não vigia para onde você olha? Impossível.Mesmo aquela que diz não ser ciumenta e nem possessiva.Ainda mais na praia,onde a gente sabe que o desfile de corpos roda solto.
E assim foi,os dias se passaram e ele estava sempre lá, com os seus olhares concentrados em mim. Se eu ia ao mar,ele estava cuidando zelosamente. Se eu ia jogar voleibol,novamente se concentrava em me acompanhar. Se eu brincava na areia,fazendo as minhas esculturas de areia,ele também não me perdia do seu controle. Porém,nada de mais produtivo aconteceu. e eu até torci que não acontecesse,pois afinal,estava acompanhado. Eu me perguntava,conversando comigo mesmo, se realmente eu queria que acontecesse ou eu temia a confusão que poderia dar. Porque,claro que ele sabia que eu estava acompanhado. E, mesmo sem ela me falar um A, eu comecei a notar que minha namorada já tinha percebido alguma coisa. Ela sabe da minha bissexualidade e sempre me diz:
-Estar namorando você não é fácil...Tenho que cuidar dos homens e das mulheres para não pularem em você. É trabalho dobrado.
E nós rimos muito disso.Ela não é preconceituosa e desde o início,fiz questão de alertá-la da minha opção sexual.Porque nunca gostei de ter pessoas preconceituosas ao meu lado. Penso que se cada um tem sua liberdade,seus desejos e vontades, cabe a cada um responder por si mesmo sobre seus atos.Quem não gosta,que faça vista grossa. Eu,enquanto bissexual,sempre mantive o respeito com as pessoas e espero que a sociedade tenha a mesma compostura com relação a mim.Trabalho,pago os meus impostos e sigo mantendo em dia os meus direitos e deveres enquanto cidadão.
A vida continuou a seguir a rota do destino: minhas férias e o encontro inesperado com o deus grego.Os dias se seguiram com o meu moreno executando a prática preferida dele: me cuidar com o seu olhar e me fazer sonhar. E de minha parte, sonhar com ele e querer mais do que poderia desejar.
Depois de uns dez dias,mais ou menos,nesse jogo de sensualidade e desejo,ficamos uns dias sem nos vermos,pois ele não foi à praia, ele reapareceu. Malmente chegamos à praia, arrumamos as cadeiras e a barraca e nos sentamos, ele surgiu do nada e passou bem à minha frente,passando bem perto à mim. Seguiu uns passos à frente, na direção direita da praia e andava se voltando de onde estava indo, como se quisesse saber se eu olhava. Parecia meio perdido nessa tentativa de me falar: Ei,estou aqui! E sem nem ter dado uma boa distância, ele voltou de onde nem mesmo ele sabia aonde estava indo. Passou novamente pelo nosso grupo,firmemente me encarando. Passou por meus amigos,deu um cumprimento discreto a eles,mas o olhar fixo em mim. Eles , por sua vez,como se percebessem o intuito dele de se chegar mais perto de mim,falaram com ele em linguagem corporal. Estufaram o peito quase à frente dele,como se estivessem proibindo a passagem dele. Ele desviou e continuou vindo direto a mim.Nessa hora, a minha namorada me vira o rosto e me beija. Evidente que ele seguiu o seu caminho e eu fiquei com o coração a mil.Nem conseguia concatenar os meus pensamentos. Só a minha vontade de largar todo mundo ali e ir atrás dele aonde ele ficava. Depois disso, não o vi mais.
Estou aqui na praia,contando os dias em que poderei ver ele novamente e saber o que mais vai nos acontecer.Nem ao menos eu sei o que fazer para saber para onde ele foi e muito menos saber como não perder o contato.Estou nas mãos do destino,pensando em como não deixar o destino me roubar a possibilidade de conhecer melhor o meu deus grego. Só uma certeza eu tenho: quero ele.Quero saber mais dele.Quero conversar com ele.

(Anjo Eros)