Cena Gris

01 de Maio de 2013 Hermes & Toth Prosa Poética 554

Com uma musica qualquer de fundo, recostado quase inerte em um dos lados da cama e com borboletas no estomago, sem muito interesse nos motivos.
As janelas entreabertas e portas fechadas, alguma luz escapa e invade o quarto. Os detalhes do piso aparentes e refletindo a luz, parecem fazer convite a um possível lindo dia.
Mas continuo inerte, ouvindo a musica que já não é mais a mesma, esta por vez soa tão jovem e motivante que quase me convence - Mas não! Ainda não o suficiente.
Algo preso como uma angustia sem explicação - Mais uma de tantas outras.
Agora o silencio tomou conta, não sei dizer se estou longe em meio a pensamentos ou se a musica cessou.
Os coloridos já se foram, tudo tão cinza - Acho que gosto de cinza!
Por fim desisto, mesmo sendo desistir algo novo pra mim - Desisto!
Me despeço e adormeço.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
"Grande Amor" há menos de 1 hora

Sabes do sol que brilha lá no céu? Sabes dos ventos, cá na terra, vento...
joaodasneves Poesias 4


Minha essência é a eternidade. há 10 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 6


LAMPEJOS há 10 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 7


Deixe Esse Amor Crescer há 1 dia

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 37


Ás palavras não são mais meu legado. há 1 dia

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 8


Não há o que comemorar. há 1 dia

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 7