(Sugestão de Áudio: Ludovico Einaudi - Fairytale)

Eis o que vejo e antecipo!
Sim! Todas vindas da imensidão.
O trinar, e o brilho!
E eis que flui!
Em cada passo descoberta se faz,
Em si e sobre si!
E eis que é uno!
E eis que se ouve em uníssono!
E se estabelece como aquele que rege!
Eis que é o maestro, vêde!
Com os olhos dos seus ciclos!
E por eles o verá!
E por eles o sentirá!
E em ti fluirá!
E rege nas estrelas e com as estrelas, rege!
E rege com ordem e simetria,
E eis que sua presença se faz!
E eis que em mim se faz!
Eis que rege por mim e em mim rege!
Nas voltas e curvas do tempo,
E o faz sem tempo e há tempos o faz,
E por muitos mais o fará!
Eis que no tempo sou a fração!
E do todo porção!
E do maestro a composição!
Para que forma eu tome então,
Que em mim haja tempo e razão.
E eis que sou!
Sou tempo e todo, fração e porção!
Aquele que rege nas estrelas e com as estrelas rege.
Vêde! Eis que sou do maestro a destra a reger a orquestra!