Minhas Verdades Incertas

08 de Julho de 2011 Hermes & Toth Prosa Poética 659

É profundo e gélido, frio muito frio – e lá no fundo resido.
E lá permaneço como se o fosse sempre – próprio de mim.
E lá não me atenho ao entorno – medo do que me traz.
E lá, o que tem lá que me prende? - minha verdade.
Ai de mim - ai de mim – que me perco no todo que me compõe.
Angústia na alma – que alma séria? Seria esta ou aquela?
Já não sei se sou o que sou – ou aquilo que quero ser – ou tudo aquilo de antes.
Se é próprio de mim não sei – talvez o seja.
Embora sejam de valor tão nobre meus desejos e sentimentos – me consome a possibilidade.
Ao fato daquilo que sou – tenho medo de mim.
O que seriam então aquelas? – que rolam e seguem no contorno do meu rosto!
De onde vem? – Da minha vontade de apenas ser aquilo que sou – sem o medo de sê-lo.
Medo sim – o mesmo de outrora.
Seria tudo isso criação tortuosa – a me enganar sobre minhas verdades? 

Ou seria tudo mesmo próprio de mim – meu eu e minhas verdades?

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Paz Celestial há menos de 1 hora

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 5


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 15 horas

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 38


Poema Suado há 15 horas

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 32


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 17 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 8


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 18 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 10


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há 18 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 7