A névoa se vai,
Mostrando novamente a cidade,
Mas aqui dentro essa chuva ainda cai,
Invadindo os meus sonhos,
E os meus pensamentos.

O sol reaparece tentando me aquecer,
Mas aqui dentro ainda neva,
Minha alma congelada,
Ainda espera você.

Eu rezo para que a noite não traga no vento,
A angústia que ainda me pesa o peito,
Me fazendo cair em desespero,
Me deixando sem dormir,
Roubando-me o meu sagrado sonhar,
Em meu solitário e pequeno leito.

Mas não será sempre assim,
Toda vez que eu ver você partir,
Sem me dizer para aonde vai,
Sem ao menos se importar com o que vou sentir.

E eu espero que não seja sempre assim,
Que alguém me invade a alma,
Deixando o meu espírito inquieto,
Roubando todo o meu ser,
Me levando tudo que eu achei que sabia de mim.

E sonhei que não foi sempre assim,
Que você chegou em mim,
Me tocando no ombro quando eu cai chorando,
Me olhando nos olhos e me levantando,
Sorrindo para mim, me acariciando
E me beijando,
Dando início ao que parecia ser o fim
Da minha eterna solidão,
Me conduzindo a mais bela história de amor,
Nunca antes contada com tanta mágoa e dor..