Sugestão de Áudio ( Ludovico Einaudi - Lady Labyrinth) (Ludovico Einaudi - Indaco)

A terra esta tomada por sangue tão negro quanto o ódio.
Meu medo só não é maior que meu desespero!
Num breve intenso brilho -Tudo se foi.
-Resquícios de memória me resta...
No vento que sopra, apenas pó e fuligem -O que fizeram ?
Eles condenaram a todos!
-E a si mesmos!
Tão único e tão raro -Agora -Perdido pra sempre!
Se foi o que um dia chamou esperança - Humana!
Apaga-se o brilhante ponto azul.
-E não há outro lar!
Fora mais rápido do que se esperava.
-Havia esperança -Mas infeliz -A nova terra no veio.
Não no tempo que precisávamos, eles a consumiram na ganancia do seu próprio tempo. Não se contentaram em acabar com toda decência e dignidade.
-Cegamente puseram fim a tudo.
Agora queima num tórrido, turbulento, negro e profundo abismo de esquecimento.
Nenhuma semente fora lançada, nenhuma âncora propagar-se-á pelo infinito.
-Malditos miseráveis!
Para sempre pó, de longe um cintilante campo de estrelas mortas.
-Tão morto quanto todo resto!
Foram mais implacáveis que o próprio tempo, tornando-o curto demais.
-Fartando-se da herança de esquecimento eterno!
Eternidade apagada em segundos fúteis.
Lançada no infinito, como recompensa a semente do puro caos.