Retalhos de Mim

25 de Outubro de 2013 Elias Lima Prosa Poética 2087

De violência e de dor,
Nasço da minha própria morte.
O que eu plantei foi amor
Embora sangrando, continuava a sofrer bastante.
A minha morte como sombra me levantou
E mesmo sem algum resquício de sorte
Eu resisti e no conhecimento eu encontrei o meu norte.

Fingi, menti, bati, enganei, assaltei, matei alguns sonhos
Sequestrei e estuprei.
Fingi que estava tudo bem quando tudo havia se esgotado em
mim.

Menti dizendo “Não, ta tudo bem” enquanto um falso sorriso
me doía por dentro.
Bati com os meus sonhos impedidos na realidade tantas vezes
com o meu espírito febril
Que ao acordar, tudo que eu ansiava era pelo o meu fim.
Enganei a minha mente na tentativa de me salvar do desespero
e me perdi em minha própria insanidade por inteiro.

Assaltei várias vezes minha alegria viciado na melancolia
E enfermo, acabei por matar meus sonhos em plena luz do dia,
Me seqüestrei várias vezes das trevas em que eu vivia e por
fim, estuprei a morte para que ela devolvesse minha vida.
E consegui.
Hoje eu sou livre.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Meu café há 2 horas

UM CAFÉ SEMPRE CAI BEM...ANTES DO ALMOÇO,DEPOIS DELE... TE FAÇO UM CA...
anjoeros Poesias 6


Ao pé do ouvido há 2 horas

Vem cá, menina... Deixa eu te falar, bem lá dentro do teu ouvido, tudo ...
anjoeros Poesias 8


Poesia viva há 2 horas

AMO VOCÊ,MINHA POESIA VIVA... TRAZES NO CORPO AS ESCRITAS DA VIDA OS MOM...
anjoeros Poesias 7


Só pra te aguardar... há 2 horas

QUISERA PODER LER TUA MENTE... SABER O QUE POSSO FAZER PARA TE SATISFAZER ...
anjoeros Poesias 6


A dor fazia lembrar. há 13 horas

Eu lhe atribui tudo de muito vil... No mais absoluto reflexo e pensar. P...
elisergio Sonetos 20


Meu sonho de mulher há 15 horas

Você é o meu sonho de mulher meu pensamento que se tornou realidade.. C...
anjoeros Poesias 10