O fogo que transforma faz das minhas vontades a ira que consome. Incinera, Desintegra, Cinzas. Manifesto o dia em noite trazendo o terror das horas mais negras. os olhos mudam e o vermelho
rubro surge. Sou o escuro da noite. O frio que queima. A dor que arde. Sim, eu sou tudo aquilo que posso ser, ordeno que suas mentiras se desfaçam e do despertar uma nova vida. Venha a mim aqueles que são herdeiros do orgulho. Pois das minhas lagrimas surgiu o veneno mais doce.