Euforia! Calmaria! E todas de melancolia, E então extasia.
E vibrantes são! Eleva-me mais um passo então! Pelas mãos guiados são, Pelo chão!
Mais um degrau rumo ao céu! Na casa da perfeição.
Iluminado pelas luzes, Do amanhecer ao entardecer, E meu passado a esquecer, Eis que faço uma prece, E me torno um novo ser!
Eis que vejo no amanhã! E vejo além do horizonte, Além das montanhas, Além-mar!
Um império onde o Sol não se põe! O império do Justo!
Eis que faço uma prece! Aos meus me juntar! E no amanhecer acordar!
E em cada momento lembrar.
Aquilo que emana na essência, Não é furtado em seu valor, Ganha força e se junta aos demais.