Duas garrafas de vinho, um porre.

Não é uma opção, ficar sem um amor no coração, no qual te socorre.

Duas garrafas de vinho, uma madrugada.

Suas lagrimas escorrem, por lembranças desesperadas.

Toques de veludo em seu corpo, uma pele macia.

Lembro dos seus lábios como um homem jamais lembrou um dia.

Duas garrafas de vinho, embriagues.

Apaixonado demais, pra falar o que eu deixei para trás, desta vez.

Seus olhos, mais uma taça, um beijo.

Tonto o suficiente para desinibir seus desejos.

Álcool, cicatrizes, dois corações e tudo combina.

Um sorriso de mulher, olhos de menina.

Duas garrafas de vinho, assim rego minha flor.

Que ela cresça sem conhecer a dor do amor.

Pensamentos, malicia, verso, prosa.

Sempre que eu estender minha mão, lhe oferecerei uma rosa.

Duas garrafas de vinho, duas bocas, dois corações, um par.

Bêbado demais pra amar...