Às vezes o “querer” é tão relativo quanto o “tempo”pois,em um instante “te quero” e em outro “te quero mais”e sem poder explicar sinto como quem pensae como quem deveras pensaquero mesmo o que um louco sente.