Numa manhã não diferente de outras surgiu você.

Vi nos seus olhos algo diferente,

e de repente fui absorvida pelo seu olhar,

pelo seu sorriso, pelo toque de sua mão.

Não podia ser sua.

Você não podia ser meu.

Viver aquela paixão não estava nos planos de uma vida.

Ou, estava sim.

Quem que escreve a história da vida?

Eu? Não. Não tenho esse poder.

Controlar o coração.

Dominar os desejos.

Como explicar o que aconteceu naquele momento

até agora não sei;

mais continuo presa naquele olhar, naquele sorriso,

e sinto sua mão segurando a minha a todo instante.

Assim descobri o amor.