O cheiro de sangue é fresco a carne ferida demonstra o destino da batalha. A visão turva inebria os pensamentos. Sente o veneno da lamina alastrando pelo corpo. Lembrou de todas as escolhas e pesou com toda a força. Sim queria estar certo. Mas sabia que a forja das vontades não permitiria o sacrficio. e sem questionar entrou nos mares de fogo. Não tinha permissão. Navegou ate o outro lado do mundo pela quista rosa. De cores tão bem entrelaçadas. Que nada alem servia como encanto. Aqui se faz o guardião ao sacrifício. Aqui se encontra perante o lobo sombrio. Que o circunda pela alma limpa. Deve carrega-la como premio por ter mostrado a potencia esquecida. Sim aqui já a ciência dos fatos